March 13, 2007

A Amizade em questão ou a questão da Amizade.

Percebo e aprendo com o passar do tempo, a medida em que vou crescendo como ser humano, construindo expreriências que, para ser amigo é preciso não sufocar, é preciso não esgotar o outro, é preciso deixar que o outro seja, que ele também saiba, sinta e pense.
Eis o problema, a questão da Amizade. Como deixar alguém a quem se quer bem andar por aí sozinho, livre para quebrar-se ou machucar-se? Quando se gosta, como eu entendia o ato de gostar dos amigos e amigas, não se quer deixar só.
Mas ando refletindo e entendendo que a solidão é necessária também.

Que bom e que pena que só entendo isso agora. Mas enfim, entender não é o bastante. É preciso um esforço verdadeiro no sentido de tentar viver desse modo. A amizade para mim é um modo de vida. É um modo de ter carinho, companhia, afeto, ilusões, partilhas. É forte, é laço de passarinheiro. Entretanto os laços podem se romper de tanta pressão. Eu não sabia que era possessiva e essa minha ânsia em querer a amizade alheia quase me custou amizades que me são por demais caras.

A amizade precisa ser gratuita, assim como todos os sentimentos de afetos devem ser, precisa ser desinteressada e sobretudo deve primar pelo consenso de que deve existir o espaço do outro ser.

2 comments:

Anonymous said...

Perceber e aprender. Ser amigo é perceber o outro e aprender com ele. Que possamos aprender muitas coisas juntas. Bjo!

a autora said...

anônimo!
Obrigada!
bj!