July 4, 2007

Esperemos

Há outros dias que não têm chegado ainda,
que estão fazendo-se
como o pão ou as cadeiras ou o produto
das farmácias ou das oficinas- há fábricas de dias que virão
-existem artesãos da alma
que levantam e pesam e preparam
certos dias amargos ou preciosos
que de repente chegam à porta
para premiar-noscom uma laranja
ou assassinar-nos de imediato.

Pablo Neruda (Últimos Poemas)

3 comments:

PP ("Paixão Pagu") said...

é espera demais...
para 'objetose(m)sentido' !
presisamos ser mais...
mesmo se formos assassinados!

Kelly Cândido said...

Esperemos, esse é o decreto do poeta.
Mas a espera nõ precisa ser estanqe, pode ser dinâmica.
Podemos reinventar a espera.

Franz Znarf said...

esperar faz com que consiguamos ver o assassino a epreita de nossas almas quem sabe assim possamos evitar o trgico