June 14, 2007

Sonho


Ontem caminhei na chuva,
Escorreguei numa poça d'agua,
Caí.
E aí tudo começou...

Vi o céu por outra perspectiva.
Uma cor que não era aquela.
Um pranto.
Havia aquele pranto que me encharcou.
Mas não tinha gosto de sal.
Não era amargo, triste ou decadente
Não, nada.

Vi o céu, o ceu me viu.
Eu também Chorei.
Não foi por amargura, nem fenômeno.
Só tristeza.
Era só surpresa, só por descoberta.
Descobri que dentro, lá bem dentro de mim,
Não há só campo florido, há mais...

Caida fiquei, torta no chão, amparada pela noite,
Pelo breu, espelho de dentro de meus pesamentos.
Era possível vê-lo na espessa noite, retrato em preto e branco.

Caprichosa e molhada,
A chuva
Lenta e insistete,
Caia sobre
E estava em baixo, ao redor, dentro da minha roupa.
Derramada na minha pele
Gota encharcada
Debaixo da unha e na boca.

Ontem caminhando, a chuva caiu sobre/em mim.
E o que era escuro continuou,
E dentro/ em mim virou silêncio,
Calmo e brando.
Chorei.
Kel Cândido

2 comments:

Liliane said...

Lindo.

kel Cândido said...

oi lili!
Obrigada!
linda é vc.
Obrigada por vir...
bjim!