December 4, 2008

As sem razões

Gosto do cheiro do dia. Sou do dia, da claridade.
Gosto do vento no rosto, de ver os pássaros voando rasante, ou no alto.
Pés sem apoio certo, voar.

Eu queria muito saber voar.

Durante o dia fecho os olhos e a claridade me faz feliz.
O vento do dia é brisa calma.
É bom sentar no tapede verde e me deixar delizar pela tranqulidade.
Iniciar um vôo pela solidão do pensar.

Eu queria tatuar, em mim, o ar.

1 comment:

dal_lemos said...

Que coisa mais surrealista... legal pra musicar!